(31) 2512-4545 | Plantão 24hrs (31) 99692-9594 | (31) 99895-9298

História do elevador

09

mar 2018

Por:digitalpixel
Curiosidades

Se você defini-lo como uma plataforma que pode mover pessoas e objetos para cima e para baixo, é na verdade bastante longa.
Elevadores rudimentares são conhecidos por terem sido utilizados na antiga Roma desde 336 aC, com a primeira referência de um construído pelo talentoso Arquimedes.
Estes primeiros elevadores eram carros abertos em vez de fechados, e consistiam em uma plataforma com gruas que permitiriam que o carro se movesse verticalmente.
Os guinchos eram normalmente trabalhados manualmente, por pessoas ou animais, embora às vezes as rodas de água fossem usadas.

Na Roma

Romanos continuaram a usar esses elevadores simples por muitos anos, geralmente para mover água, materiais de construção ou outros itens pesados ​​de um lugar para outro.
Quanto ao elevador de passageiros dedicado, este foi criado no século 18, com um dos primeiros utilizados pelo rei Luís XV em 1743.
Ele tinha um elevador construído em Versalhes que iria levá-lo de seus apartamentos no primeiro andar para sua amante, no segundo.
Este elevador não era tecnologicamente muito mais avançado do que aqueles usados ​​em Roma. Para fazê-lo funcionar, homens estacionados em uma chaminé puxavam as cordas. Eles a chamavam de “cadeira voadora”.
Nos anos 1800 a tecnologia de elevador realmente começou a avançar. Para começar, os elevadores não precisavam mais ser trabalhados manualmente.

Sistema hidráulico

Em 1823, dois arquitetos britânicos, Burton e Hormer, construíram uma “sala ascendente” movida a vapor para levar os turistas até uma plataforma para uma visão de Londres.
Vários anos depois, sua invenção foi expandida pelos arquitetos Frost e Stutt, que acrescentaram uma correia e contrapeso à força de vapor.
Logo, os sistemas hidráulicos começaram a ser criados também, usando a pressão da água para elevar e abaixar o carro do elevador.
No entanto, isso não era prático em alguns casos, fossos tinham de ser cavados abaixo do poço do elevador para permitir que o pistão puxasse para trás.
Quanto mais alto o elevador ia, mais profundo o poço tinha que ser. Assim, esta não era uma opção viável para edifícios mais altos em cidades grandes.
Assim, apesar dos sistemas hidráulicos serem um pouco mais seguros do que os elevadores movidos a vapor/cabo, os alimentados a vapor com cabos e contrapesos, presos ao redor.
Eles tinham apenas uma grande desvantagem: os cabos poderiam estalar, o que fazia com que o elevador caísse no fundo do poço, matando passageiros e danificando materiais de construção ou outros itens sendo transportados.

O inventor

O homem que resolveu o problema de segurança do elevador, tornando os arranha-céus possível, foi Elisha Otis, que é geralmente conhecido como o inventor do elevador moderno.
Em 1852, Otis desenvolveu um projeto que tinha um “freio” de segurança. No caso de os cabos se romperem, uma moldura de madeira no topo da cabina do elevador iria se soltar e bater nas paredes do poço, parando o elevador em suas trilhas.
O próprio Otis demonstrou o dispositivo, que ele chamou de “guincho de segurança”, na Feira Mundial de Nova York, em 1854, quando ele mesmo subiu em um elevador e fez cortar as cordas.
Em vez de mergulhar em sua morte, como o público pensava que poderia acontecer, sua grua de segurança estalou, pegando o elevador em segundos.
A Otis continuou a fundar sua própria empresa de elevadores, que instalou o primeiro elevador público em um prédio de Nova York em 1874. A Otis Elevator Company ainda é conhecida hoje como a maior fabricante de elevadores do mundo.
Enquanto o projeto do elevador de cabo permaneceu, muitas melhorias adicionais foram feitas, a mais óbvia de que os elevadores funcionam agora na eletricidade. O elevador elétrico foi patenteado por Alexander Miles em 1887, embora um tivesse sido construído pelo inventor alemão Werner von Siemens em 1880.
O elevador de segurança da Otis também não era o fim da inovação em segurança. Hoje em dia, é praticamente impossível que um elevador despenque e mate passageiros.
Existem agora vários cabos de aço para segurar o peso do elevador, além de um número de diferentes sistemas de travagem para parar um elevador no caso dele cair. Se, apesar de todas estas medidas de segurança, o elevador cair, existem amortecedores no fundo do poço, tornando improvável a morte e reduzindo a possibilidade de lesões graves.

Ainda não recebemos comentários. Seja o primeiro a deixar sua opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nós ligamos para você

Quer entrar em contato com a gente? Estamos prontos para atendê-lo!

Onde Estamos?

Localização estratégica para atendê-lo com maior agilidade e eficiência.

R. Uberlândia, 337 - Carlos Prates, Belo Horizonte - MG, 30710-230

(31) 2512-4545 | Plantão 24hrs (31) 99692-9594

contato@sosdoselevadores.com.br

Seg á Sex de 09hrs á 18hrs